Política

Atualizada em 21/07/2016 às 17h07

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito Fernando Mineiro (PT) e a senadora Fátima Bezerra (PT) se reuniram, na tarde desta quarta-feira (20), com o ex-presidente Lula em São Paulo (SP). Em pauta, a conjuntura nacional, as eleições municipais e a participação dele na campanha em Natal. 

Demonstrando entusiasmo, Lula disse que “este é o momento de reafirmarmos os projetos para as cidades”. “Temos o que mostrar à população: projetos de inclusão social, participação popular, mudamos para melhor a vida das pessoas onde governamos”, comentou. 

A reunião durou mais de duas horas. Mineiro disse que “Lula estava animado como poucas vezes o vi antes”. “Ele reafirmou que vai andar pelo país fazendo campanha, inclusive aqui em Natal. Vamos às ruas defender nosso projeto, apresentar nossas ideias e debater a cidade com as pessoas”. 

Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Política

Atualizada em 21/07/2016 às 17h07

O procurador-geral do Ministério de Contas, Luciano Ramos, emitiu nesta quarta-feira (20) parecer pedindo a concessão de medida cautelar pela suspensão dos pagamentos realizados pelo Governo do Estado em favor da empresa responsável pelo estádio Arena das Dunas.

O parecer se refere ao processo nº 2.813/2011 – TCE, que trata de fiscalização realizada sobre o processo de contratação, acompanhamento e controle dos atos referentes à parceria público-privada – PPP firmada entre o Estado, por meio do Departamento Estadual de Estradas e Rodagens – DER/RN, e a Arena das Dunas Concessão e Eventos S/A.

O procurador defende a concessão da medida cautelar em face da verificação dos fatos até aqui apurados, tendo em vista o potencial dano ao erário que, segundo ele, há de ser estancado com a determinação da suspensão dos pagamentos realizados pelo Governo do Estado à empresa responsável pelo estádio.

Segundo o parecer, da análise dos autos, observou-se que não houve o devido estudo de viabilidade econômica do contrato e, tampouco, as razões justificadoras para optar pela forma mais onerosa e prolongada de comprometimento de recursos públicos.

Além disso, justifica o parecer, verificaram-se inúmeras irregularidades que, por si só, são passíveis de justificar a nulidade do contrato, mas que, à baila do processo, são incontestavelmente aptas a justificar o pleito cautelar, em consonância e decorrência das irregularidades verificadas pelo corpo técnico.

“Em vista disso, este Ministério Público de Contas entende que o pedido cautelar ora apresentado quanto à suspensão do pagamento da parcela fixa é o mecanismo processual cabível para evitar o potencial dano ao patrimônio público, bem como desfazer o dano já delineado pelo sobrepreço até aqui demonstrado, uma vez que este processo terá uma tramitação demasiadamente longa, o que acarretará comprometimento de um montante ainda superior a ser desperdiçado pelo Estado do RN com a empresa concessionária”, diz o parecer.

 

VALORES

A suspensão dos pagamentos das contraprestações mensais pelo Estado já havia sido sugerida no relatório de auditoria realizada pela equipe técnica da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização da Copa 2014 (CAFCOPA) do TCE. A equipe técnica detectou indícios de sobrepreço no contrato de concessão do estádio Arena das Dunas, o que poderá implicar em um dano ao erário no valor de R$ 451 milhões no período de 15 anos. Além disso, a auditoria imputou um dano ao erário efetivo de R$ 77 milhões, o qual teria ocorrido até abril deste ano.

Quanto à parcela fixa da contraprestação pecuniária paga pelo Estado do Rio Grande do Norte ao parceiro privado (85% dos pagamentos mensais totais atuais de R$ 12.953.218,73, no patamar atual de R$ 11.010.235,92), o parecer do MPC pede que seja deferida a cautelar de suspensão total do pagamento da parcela fixa até o julgamento final deste processo.

Já no que diz respeito à parcela variável (15% dos pagamentos mensais totais atuais de R$ 12.953.218,73, no patamar atual de R$ 1.942.982,81), o pedido é que seja deferida cautelar de suspensão do pagamento ao parceiro privado até apresentação das planilhas comprobatórias dos efetivos custos de manutenção e gerenciamento da Arena das Dunas.
Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Cidades

Atualizada em 21/07/2016 às 17h07
Facilidade para trafegar, segurança, fluidez no trânsito e organização. Essas são as impressões dos motoristas, pedestres, proprietários de comércio e moradores das regiões onde a Prefeitura do Natal implantou os dois binários recentemente. O binário das avenidas Miguel Castro com Amintas Barros e o das avenidas Capitão-Mor Gouveia e Jerônimo Câmara agradaram a população e não tem provocado transtornos nos primeiros momentos de suas implantações na capital potiguar.


O motorista Ivanaldo Rodrigues, 57 anos, revela que dirige pela cidade 200 quilômetros diariamente e diz que a escolha por esse tipo de organização do tráfego foi um acerto da Prefeitura. Ele tem como um dos pontos principais de deslocamento uma das lojas do centro comercial que fica em frente ao CEASA. “Eu dirijo o dia inteiro e posso garantir que ficou ótimo. Essas ruas daqui sempre engarrafavam e era um problemão para circular. Agora não tem mais engarrafamento e está muito bom”, analisa.


A opinião é compartilhada pelo colega de profissão de seu Ivanaldo, Edivaldo Costa, 53 anos. O condutor de um veículo de uma distribuidora de alimentos, que abastece lojas locais afirma que era complicado estacionar e de conduzir um veículo de maior porte pelas ruas da região. “Melhorou muito. Antes tudo era complicado, mas agora com todas as ruas no mesmo sentido facilitou demais o nosso trabalho”. Comentou.


Na região do binário das avenidas Capitão-Mor Gouveia e Jerônimo Câmara, cujo funcionamento já está normatizado há mais tempo, poucos são os motoristas que ainda confundem as direções dos fluxos dos veículos. “Aqui eles já estão mais habituados. Ainda assim, continuamos presentes para orientar os motoristas e pedestres. Para você ter ideia, em dois dias de trabalho que estou aqui, apenas um motorista fez uma conversão errada. Orientei e ele seguiu viagem”, relata o guarda de trânsito da STTU, Ricardo Cavalcanti.


Junto com Cavalcanti, outros 39 “amarelinhos” estão distribuídos pela área para prestar esclarecimentos à população. Além deles, a sinalização horizontal e vertical está sendo implantada e, onde esta ainda não chegou, foram colocadas sinalizações provisórias.


De acordo com os guardas Luiz Antônio Alves e José Carlos Gones, posicionados nas proximidades da Liga Contra o Câncer, local de início de um dos binários, o trabalho tem sido tranquilo. “Estamos aqui para orientar e não apenas para punir, por isso o motorista, que estiver em dúvida pode perguntar. Quando a sinalização horizontal e vertical for definitivamente colocada vai facilitar ainda mais”, comenta Alves. A implantação da sinalização horizontal dos binários foi concluída nesta terça-feira (19). nas Amintas Barros e Miguel Castro.


Na esquina da Amintas com a rua dos Canindés (antiga avenida 6), os proprietários de comércio comemoram a segurança e organização no trânsito proporcionada pela implantação do binário. “Antes era uma confusão só. Gente retornando no meio da avenida, buzinaço o tempo inteiro. Agora tudo está mais organizado”, opinou o eletricista Francisco de Assis, 56 anos e que há três anos se estabeleceu no local. O atendente Arlindo Ferreira, 39 anos, trabalha com a irmã em um pequeno restaurante e afiança a opinião do vizinho. “Antes o risco era grande de acidente aqui. Agora está tudo mais organizado. Ficou até mais bonito o local”, diz.

No local, a dupla de guardas José Altemar Ricardo e Edmílson Carneiro espalhou cones em algumas esquinas de ruas acessórias como forma de, antecipadamente, evitar uma conversão errada. “Somente alguns poucos tentaram retornar, mas com a sinalização e nossa ajuda tudo está fluindo muito bem”, concluiu Altemar. Em caso de dúvidas os motoristas podem ligar para o Alô STTU, no telefone 156, ou perguntar pelo Twitter oficial, o @156Natal.

As mudanças
1 - Com a mudança, o trânsito na Avenida Mor Gouveia passou a ser mão única a partir da Avenida Adolfo Gordo (sentido Rodoviária/Arena das Dunas) e na Avenida Jerônimo Câmara o sentido será único (Arena das Dunas/Rodoviária).

2 - A partir de agora, a Avenida Amintas Barros passa a ter sentido único da Avenida Interventor Mário Câmara (Av. 6) até a Avenida Xavier da Silveira. A ampliação ocorre no trecho entre a Av. Interventor Mário Câmara até Rua dos Tororós e da Rua Marise Bastier até a Avenida Xavier da Silveira. Já a Avenida Miguel Castro terá o sentido único ampliado da Rua dos Totorós até a Avenida Interventor Mário Câmara (Av. 6).

Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Cultura e Sociedade

Atualizada em 21/07/2016 às 17h07
De 2005 a 2015, a frota de veículos do Rio Grande do Norte aumentou 172,1%, enquanto nesse mesmo período a população do Estado cresceu 14,6%. A análise é resultado de um estudo do setor de Estatística do Detran/RN que mostra a evolução da frota em uma década. O setor de Estatística do Detran/RN apontou ainda que, em 2015, a capital tinha um veículo para apenas duas pessoas, já em 2005 essa proporção era de um veículo para cada 4 pessoas. Nos demais municípios, a distribuição da proporção da frota de veículo pela população está ainda menor, hoje a média são três pessoas utilizando o mesmo veículo, ao passo que há uma década o que se observava eram 10 pessoas por automóvel. No detalhamento por tipo de veículo, é possível observar que nesses 10 anos analisados, o registro de caminhonetes aumentou 679%, saindo de 8581, em 2005, para 58.279 em 2015. O número de carros utilitários também aumentou consubstancialmente, foi um crescimento de 2951% nessa década avaliada. O número de veículos não para de subir, mas nos últimos anos o crescimento teve um ritmo menos acelerado. No Estado, a análise mostra que no ano 2015 a frota aumentou apenas 6,43% em relação ao ano anterior. O dado é confirmado pelo levantamento de veículos zero quilômetro que foram emplacados no Rio Grande do Norte. A frota atual de veículos em todo o Rio Grande do Norte é de 1.154.250 veículos. A capital tem a maior frota com 377.072, o que corresponde a 32,67% dos carros do Estado, seguida por Mossoró com 145.481 (12,60%) e Parnamirim 91.944 (7,96%). Baixe AQUI Análise Estatística Evolução da Frota RN. 
Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Cidades

Atualizada em 21/07/2016 às 17h07
A clonagem de veículos foi tema de uma reunião hoje entre o diretor geral do Detran/RN, Marco Medeiros, e o titular da Delegacia de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov), Licurgo Nunes Neto. O encontrou foi um momento para propor ações de maior integração entre o Detran/RN e a Deprov e discutir soluções para o crime. Também participaram da reunião o chefe de Gabinete do Detran, Henrique Bezerra, a coordenadora de Educação de Fiscalização de Trânsito, Cinthia Raline, o coordenador de Registro de Veículos, Siderley Bezerra, a subcoordenadora de Informática, Lena Campos, a assistente da Procuradoria Jurídica, Lucia Mansur, e o representante da equipe da Lei Seca, Aroldo Santos. A clonagem normalmente acontece quando os fraudadores copiam a placa de um carro que tem as mesmas características (mesma cor, modelo e ano) de outro veículo que esteja em sua posse. Além disso, alguns clones são feitos para possibilitar a revenda de carros roubados, que têm o chassi remarcado e os documentos falsificados. O automóvel clonado passa por modificações no chassi, número de motor, placas, entre outras, transformando-se em um veículo regular, com documentos aparentemente legais. De acordo com as autoridades policiais, a clonagem de veículos é um dos crimes que mais cresce no país.
Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Cultura e Sociedade

Atualizada em 21/07/2016 às 17h07
O Detran/RN deve apoiar ações da Secretaria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres (SPM) relacionadas as atividades comemorativas aos 10 anos da Lei Federal 11.340/06, conhecida como Lei Maria da Penha. Planejamento neste sentido foi debatido nessa terça-feira (19), em encontro que reuniu o diretor-geral do Órgão, Marco Medeiros, a secretária da SPM, Flávia Lisboa, a presidente da Comissão Estadual de Qualidade de Vida e Saúde no Trabalho, Elisa Fernandes, e a coordenadora de Educação e Fiscalização de Trânsito do Detran, Cinthia Raliny. Na ocasião, foi dado os primeiros passos no sentido de integrar as duas instituições nessa ação, que deve ser realizada no dia 07 de agosto, data em que a Lei Maria da Penha registra uma década em vigor no país. “O Detran vai dar a sua contribuição social nessa ação de respeito a mulher e que deve ser comemorada por toda a sociedade”, ressaltou o diretor Marco Medeiros. Lei Maria da Penha A lei alterou o Código Penal, como a introdução do parágrafo 9, do Artigo 129, possibilitando que agressores de mulheres em âmbito doméstico ou familiar sejam presos em flagrante ou tenham sua prisão preventiva decretada. Estes agressores também não poderão mais ser punidos com penas alternativas. A legislação aumenta o tempo máximo de detenção previsto de um para três anos. A lei prevê, ainda, medidas que vão desde a remoção do agressor do domicílio à proibição de sua aproximação da mulher agredida.
Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Cultura e Sociedade

Atualizada em 21/07/2016 às 17h07
Campanha para divulgação do Símbolo Internacional de Surdez no trânsito
O símbolo internacional de surdez é uma maneira de identificar as pessoas com deficiência auditiva no trânsito e pode ser colocado em todos os veículos dirigidos pelos motoristas com essa necessidade especial.
 
A utilização do adesivo é opcional e voluntária, mas o Detran/RN reforça a importância do símbolo, pois serve de alerta os demais motoristas a presença de pessoa com deficiência auditiva ao volante e traz maior segurança e respeito à condição especial.
 
A campanha do Detran/RN orienta aos motoristas com deficiência auditiva a fixar dois adesivos: um no vidro traseiro do veículo, para informar que qualquer solicitação deve ser feita por meio dos faróis altos e não por buzina; e outro no vidro dianteiro, para facilitar a identificação por agentes de trânsito e demais autoridades de trânsito no momento da abordagem. A distribuição dos adesivos será feita pela Coordenadoria Médica do órgão localizada na sede no Bairro Cidade da Esperança. Reforçamos que o uso dos adesivos é destinado APENAS aos condutores com necessidade auditiva.
 
 
Assessoria de Comunicação   Detran/RN 3232.2999
 Coordenadoria Médica           Detran/RN 3232.1256
 
 
Assessoria de Comunicação
Detran/RN 3232.2999
- See more at: http://www.detran.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=121491&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=MAT%C9RIA#sthash.2C0eOHkI.dpuf
Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Política

Atualizada em 21/07/2016 às 15h07

Do Nominuto - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta quarta-feira (20) o limite de gastos dos candidatos durante as campanhas para prefeito e vereadores de todo o Brasil.

Para a disputa à Prefeitura de Natal, o TSE autoriza o gasto máximo de R$ 5.490.293,93 aos candidatos na disputa do primeiro turno, e R$ 1.647.088,18 em uma possível disputa de segundo turno. Enquanto isso, o limite de gastos para os candidatos a um cargo na Câmara Municipal da cidade não poderá exceder os R$ 339.352,08.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitora, entre as capitais, Natal terá a quarta campanha mais cara do nordeste, ficando atrás apenas de Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Recife (PE).  

No Rio Grande do Norte, o segundo maior limite de gasto em campanhas será na cidade de Mossoró, onde o teto orçamentário dos candidatos a Prefeitura será de até R$ 2.953.615,39 durante toda a campanha.

Na disputa ao cargo de vereador em Mossoró, os candidatos só poderão gastar R$ 195.138,56. Segundo o TSE, o maior limite de gastos para campanha para o cargo de prefeito está previsto para o município de São Paulo (SP), que tem hoje 8.886.324 eleitores.

No primeiro turno eleitoral, os candidatos à Prefeitura da cidade poderão gastar até R$ 45.470.214,12. Já no segundo turno, o teto de gastos será de R$ 13.641.064,24. De outro lado, os candidatos a prefeito em 3.794 municípios somente poderão gastar até R$ 108.039,00.

Para o cargo de vereador, o maior limite de gastos foi estipulado para o município de Manaus (AM), que possui 1.257.129 eleitores. Os candidatos a uma cadeira na Câmara Municipal da capital do Amazonas poderão gastar, no máximo, R$ 26.689.399,64. O menor teto de gastos para as campanhas para o cargo de vereador ficou em R$ 10.803,91, alcançando 3.794 municípios.

A respeito da fixação dos limites de gastos, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, destaca que a Justiça Eleitoral e a sociedade terão importante papel na fiscalização da aplicação dos recursos eleitorais.

"Nós não dispomos de fiscais na Justiça Eleitoral para dar atenção a todos eles [gastos]. A própria sociedade terá que fiscalizar. E como a disputa é muito acirrada, já que as disputas em municípios são, às vezes, mais acirradas que as nacionais, então é provável que haja ânimo de violar a legislação, especialmente na ausência de uma fiscalização mais visível. Por isso, a própria comunidade terá que se incumbir dessa tarefa”, afirma.

Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Política

Atualizada em 21/07/2016 às 15h07

Do Novo Jornal - Jornal do Daniel Menezes - Do dia 13 de Julho

ONDE ERRAMOS?

 

Dois anos após a Copa do Mundo, conforme este Novo, “o Tribunal de Contas dos Estado (TCE) 

concluiu e divulgou ontem uma auditoria na qual afirma que há fortes indícios de que a 

construção da Arena das Dunas teve sobrepreço de R$ 142,5 milhões e que contrato com a 

construtora OAS já teria causado prejuízo efetivo de R$ 77,5 milhões ao Governo do Estado. 

O documento revela que se tudo for mantido como está, em 15 anos, o prejuízo para o erário 

alcançará os R$ 451,77 milhões.

Ainda de acordo com o Novo, “além de apontar suposto superfaturamente por sobrepreço, os 

técnicos indicam uma série de irregularidades envolvidas no contrato. Entre elas, contratação 

de parceria público-privada sem estudos de viabilidade; prática de renúncia de receita por parte do Estado; e 

indícios de irregularidades no contrato de financiamento junto ao BNDES.

Diante daquilo que já era dado como óbvio por não poucas pessoas, fica a pergunta - onde 

erramos? A indagação precisa ser respondida com honestidade, não apenas para alcançar 

possíveis culpados pela peripécia com grana alheia, mas também para que o RN pare de arcar 

pela megalomania irrefletida - ou com bons reflexos apenas para os grupelhos de sempre. E o 

trabalho de racionalização da questão passa pela honesta caracterização da lógica que 

perpetua uma cena que parece ser o enquadramento do mito do eterno retorno. O prejuízo a

margado pela viúva é de responsabilidade dos órgãos de controle que não, com o perdão da 

redundância, controlaram satisfatoriamente, da classe política que liderou para o abismo, da 

imprensa que não alimentou a esfera pública potiguar com os dados devidos na qual o autor 

desta modesta coluna também não pode tirar o corpanzil fora. 

CONTRA ESSE MODELO DE COPA

Apesar de me incluir na mea culpa coletiva, escrevi, em 2011, artigo para o finado Jornal de 

Hoje, criticando o modelo apresentado para a efetivação da copa do mundo de futebol em 

Natal. 

Sei que perderei leitores, mas estou aqui para falar o que penso. Não para afagar 

oba-oba que domina a cena pública. Sou contra a realização da copa do mundo de futebol em 

nossa cidade, sobretudo, no modelo em que supostamente ela será desenvolvida.

 

Imaginemos que ela de fato aconteça e que os pessimistas (realistas?) estejam errados. Não 

seria racional equacionar as suas reais implicações? Se ela trará benefícios? E para quem?

Ora, temos de pensar nas suas consequências objetivas:

 

O dinheiro para as obras estruturantes não virá a “fundo perdido”, conforme prometeram. 

Nada de graça. A prova é que a própria prefeitura de Natal acaba de pegar 300 milhões 

emprestados da caixa econômica federal para mobilidade urbana;

 

A Parceria-Público-

Privada (PPP) é um engodo conceitual, pois neste tipo de relação os dois entram com uma 

parte. Ajuda mútua. Entretanto, o que está acontecendo é que o estádio será construído e o 

governo do RN pagará com juros e correções monetárias – 1,3 Bilhões ao todo. Isto pode ser denominado de parceria? Pensem no endividamento do 


Estado e do município. O carnê será inesgotável. O próprio MPF já entrou com várias 

representações para tentar revisar e, possivelmente, anular a licitação. O MPF alega que é um 

absurdo delimitar este processo como uma PPP;

 

3. Passada a construção, depois de todos os transtornos advindos da derrubada do Machadão 

e da Arena a ser erguida, estaremos com um elefante branco (um papodromo em escala 

ampliada) na mão e com uma parte da cidade, que já é altamente adensada, ainda mais 

congestionada. Uma tragédia para a nossa qualidade de vida. Comprometeremos o nosso 

futuro. E aí, será que toda a farra vale mesmo a pena? Eu acho que não”.

 

PAPODROMOS CEIFAM NOSSO FUTURO

 

Repito, em que pese os gestos dissonantes, a “culpa” é coletiva. É fundamental observar o 

modo como o debate nas terras de poti se desenvolve. Ou deixa de ocorrer efetivamente, 

pois há um padrão entre o que aconteceu na construção do Papodromo com o que foi 

consolidado para o caso da destruição de dois equipamentos, para que um se tornasse 

possível. 

 

Funciona mais ou menos assim: o debate se inicia com um oba-

oba sem tamanho. Os líderes interessados na boa nova trazida com pompa e circunstância 

erigem a ideia de que a alteração no cenário norteriograndense ou a produção de um novo 

equipamento representa o ingresso do Estado na modernidade. Uma forma de mobilizar 

nossas expectativas e acionar um complexo de inferioridade sempre compartilhado nas rodas 

de café da cidade. 

 

Após o debate já sedimentado nesses termos, surgem os críticos. Porém, o resultado se 

encontra traçado a partir de uma luta absolutamente desigual. Basta questionar o estado 

sobre a euforia acrítica para ser rapidamente enquadrado como “contra o RN”. Já era.

 

A obra começa a sofrer aditivos e novos gastos inesperados são timidamente mencionados. 

Os órgãos de controle atacam, mas sem sucesso. Afinal, o que são R$ 50, R$ 100 milhões 

diante da superação de um atraso pintado como secular? O boa noite Cinderella logrou êxito 

em sua jornada.

 

Depois vem a frustração. No entanto, o prejuízo já foi realizado, e o príncipe antes cortejado, 

se torna órfão. Foi assim com o papodromo. Está sendo com a Arena das Dunas.

 

DOIS TCEs EM PÉ DE GUERRA NO RN

 

A rádio corredor na instituição sinaliza para a existência de dois TCEs - um sempre criticou a 

relação entre o Governo do RN e a OAS, que ergueu o Estádio; e outro que tornou possível o 

empreendimento no molde atual. Os TCEs estão em pé de guerra.

Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais

Política

Atualizada em 21/07/2016 às 14h07

Do UOL - Band - O Ministério do Trabalho da Itália lançou nesta terça-feira (19) um projeto chamado "Apoio para a Inclusão Ativa" (SIA, na sigla em italiano), que destinará até 400 euros (R$ 1.440) mensais para famílias que vivem em situação de pobreza.

 

O benefício será de 80 euros (R$ 288) por membro do núcleo familiar, respeitando o teto de 400 euros - ou seja, famílias com seis ou mais componentes receberão o mesmo que aquelas com cinco integrantes.

 

Para ter acesso ao incentivo, os núcleos deverão ter Indicador da Situação Econômica Equivalente (ISEE) de até 3 mil euros (R$ 10,8 mil) e a presença de pelo menos um membro menor de idade, deficiente ou grávida. O ISEE é um instrumento criado para avaliar a situação financeira dos italianos, levando em conta renda, patrimônio e características da família.

 

Além disso, precisarão aderir a um projeto personalizado de inserção social e trabalhista, uma espécie de acompanhamento para deixar a condição de pobreza. Sendo assim, as pessoas beneficiadas deverão se empenhar na busca por trabalho e no cumprimento de objetivos educacionais (como frequência escolar) e sanitários (como vacinação).

 

As famílias interessadas poderão solicitar a bolsa a partir de 2 de setembro, e o governo acredita que o SIA cobrirá entre 180 mil e 220 mil núcleos e de 800 mil a 1 milhão de cidadãos, metade dos quais menores de idade.

 

Renda de inclusão

 

Segundo o ministro do Trabalho Giuliano Poletti, já foram separados 750 milhões de euros (R$ 2,7 mil) para o projeto em 2016, mas ele ressaltou que a medida será apenas uma "ponte" que levará o país à chamada "renda de inclusão", que ajudará todos os menores de idade em condição de pobreza absoluta, algo em torno de 1 milhão de jovens.

 

Há apenas quatro meses, o primeiro-ministro Matteo Renzi havia chamado de "esmola de Estado" a proposta do Movimento 5 Estrelas (M5S) de criar uma "renda de cidadania" para pobres. O projeto, atualmente em discussão no Senado, prevê que todas as pessoas maiores de 18 anos que recebam menos de 780 euros (R$ 2,8 mil) por mês tenham um auxílio financeiro para atingir esse patamar.

 

Atualmente, a pobreza absoluta na Itália atinge 4,598 milhões de pessoas, a cifra mais alta desde 2005, ainda antes da crise que jogou o país em uma longa recessão.

Daniel Menezes Daniel Menezes Saiba Mais